Fábrica própria SP/BRASIL

EPI ou EPC: quais as principais diferenças?

EPI ou EPC: quais as principais diferenças?

Em um ambiente de trabalho, é fundamental garantir a segurança e o bem-estar de seus colaboradores durante as atividades. Seja em trabalho em altura ou na superfície, a importância dos EPIs e EPCs é indiscutível, por isso, é necessário que os empregadores ofereçam os equipamentos adequados para toda a equipe.

Existem, no entanto, algumas diferenças entre os modelos de utilização, vantagens e até mesmo em relação à importância dos EPIs e EPCs, e é exatamente sobre isso que iremos falar hoje. Fique por aqui para saber mais sobre os equipamentos de proteção individual e de proteção coletiva.

O que é o equipamento de proteção individual?

O equipamento de proteção individual, mais conhecido como EPI, é caracterizado pelo seu uso pessoal, uma vez que é destinado à proteção de cada trabalhador, de modo particular, reduzindo os riscos de acidentes no ambiente de trabalho, que podem ameaçar a sua integridade física.

Desse modo, a utilização do dispositivo de segurança individual deve ser feita somente quando não for possível eliminar os riscos do ambiente em que a atividade será desenvolvida. Outra maneira de justificar seu uso é a partir da avaliação de uma operação que não oferece segurança pelas medidas de proteção coletiva, sendo pouco eficientes ou não favoráveis naquele local.

Alguns exemplos de EPIs são os capacetes, viseiras, máscaras, óculos, luvas e botas, além de demais dispositivos que forneçam proteção auditiva, facial, respiratória, ocular e demais necessidades para garantir a saúde e segurança dos colaboradores.

O que são equipamentos de proteção coletiva?

Os equipamentos de proteção coletiva, também chamados de EPCs, são instrumentos utilizados no ambiente de trabalho com a função de assegurar a integridade física dos trabalhadores em situações de risco. Assim, a proteção é oferecida de forma conjunta, minimizando os riscos inerentes aos processos, promovendo sinalização de segurança, proteção de partes móveis de máquinas, aumento da ventilação no local, isolamento acústico de ruído, entre outros.

É válido destacar que esse dispositivo de proteção é mais utilizado que o EPI, pois não depende do manuseio do trabalhador para cumprir sua função. Sendo assim, os EPCs mais utilizados para diminuir os riscos no ambiente de trabalho de forma conjunta são fitas sinalizadoras, corrimão, antiderrapantes, entre outros.

EPI ou EPC: qual a diferença?

As principais diferenças entre os EPIs e EPCs são destacadas pelas condições das atividades desenvolvidas e formas de prevenção, uma vez que o equipamento de proteção individual tem como função proteger somente a parte do corpo a ser resguardada, de acordo com a operação e seus riscos.

Enquanto isso, o equipamento de proteção coletiva desempenha o papel de anteparo e segurança de um grupo de colaboradores que está desenvolvendo atividades arriscadas no local, protegendo os envolvidos de lesões ou riscos mais graves.

A importância dos EPIs e EPCs no ambiente de trabalho

Seja em atividades de alta periculosidade, como trabalho em altura, ou em operações que necessitam de maior proteção, a importância dos EPIs e EPCs é garantida. No entanto, é fundamental destacar que os dispositivos devem ser constantemente verificados e trocados, caso haja necessidade, para garantir a segurança de toda a equipe.

A Polifitema é fábrica de EPI, uma empresa com excelência no fornecimento de EPIs e outros materiais para otimizar a produtividade na sua empresa ou indústria, com produtos qualificados para diversas operações, como movimentação de carga, manilha e cinta de amarração de carga.



Deixe uma resposta