Fábrica própria SP/BRASIL

Os 4 erros comuns na gestão de uma transportadora

Os 4 erros comuns na gestão de uma transportadora

Atingir os objetivos planejados, melhorar os resultados e levar a sua empresa ao crescimento sustentável. Tudo isso é possível por meio de uma gestão de transportadoras realizada de maneira eficaz. Esse processo é responsável por controlar, do ponto de origem até o destino final, toda a movimentação de cargas.

É feito, dentro desse campo, o acompanhamento de diversas etapas importantes, como o rastreamento de veículos, monitoramento de gastos, planejamento de rotas e gestão de documentos. 

No entanto, o setor traz consigo diversos desafios, fazendo com que algumas empresas, sobretudo as que estão iniciando sua trajetória no mercado, cometam erros que dificultam o aproveitamento dos benefícios oriundos de uma boa gestão. 

Confira 5 erros comuns na gestão de uma transportadora e como solucioná-los

 

1. Não dar a devida atenção ao planejamento estratégico 

Todas as atividades que envolvem a gestão de uma transportadora devem ter como ponto inicial o planejamento estratégico. O negócio que não organiza as necessidades logísticas está fadado a enfrentar dificuldades que impossibilitam a sua expansão no mercado. 

É preciso definir as estratégias de modo objetivo. Sem o planejamento estratégico, os processos logísticos não são capazes de gerar soluções mensuráveis e eficazes.

2. Negligenciar os riscos

Todos os fatores que podem culminar em reflexos negativos para a empresa, até mesmo os menores riscos, devem ser analisados individualmente. Em muitos casos, após uma primeira análise de riscos, estes costumam ser esquecidos, sendo cada vez mais difícil atingir resultados efetivos. 

Para evitar esse tipo de situação, faz-se indispensável investir na comunicação interna, além da elaboração de um cronograma, o qual permite a rápida identificação do que foi deixado em segundo plano. Dessa forma, o gerenciamento de riscos deve atuar no cenário cotidiano da empresa, possibilitando o seu desenvolvimento. 

3. Não investir em tecnologia 

Com as transformações tecnológicas trazidas pela nova economia, a automatização se tornou um fator primordial quando falamos de grande parte dos setores do mercado, o que inclui, inegavelmente, o transporte de cargas.

Investir em programas, aplicativos e softwares traz agilidade aos processos, garantindo inúmeros benefícios, como menor atraso das entregas, a diminuição dos gastos, melhor desempenho dos profissionais e otimização dos trajetos. 

4. Não usar equipamentos de qualidade 

Para auxiliar na execução das ações de uma transportadora, é essencial utilizar equipamentos eficientes para a movimentação de cargas. Desse modo, é preciso escolher o equipamento adequado, organizando o processo produtivo, melhorando o transporte dos produtos e trazendo maior segurança para as atividades. 

Um dos itens mais usados no meio é a cinta de amarração de cargas. 

A importância da cinta de amarração de cargas 

As cintas de amarração de cargas são equipamentos usados para a movimentação e guindagem. Possuindo um papel indispensável quando falamos de segurança do transporte de cargas, elas são responsáveis por manter a integridade dos produtos e de todo seu entorno.

Com mais de 23 anos de experiência no mercado, a Polifitema é uma fabricante de cinta para amarração de carga que oferece produtos de alta qualidade e performance, além de contar com profissionais que possuem conhecimento minucioso de nossos itens, sendo altamente qualificados em padrão de segurança.

Na Polifitema, você encontra uma diversidade de acessórios voltados à amarração e elevação de cargas. Evite cair em um dos erros mais cometidos na gestão de uma transportadora e navegue pelo nosso site para conhecer nossa linha de produtos!



Deixe uma resposta