Fábrica própria SP/BRASIL

Plano para elevação de cargas: como funciona?

Plano para elevação de cargas: como funciona?

Levantar, transportar, erguer ou sustentar uma carga de um local para o outro. Tudo isso é possível por meio da elevação de cargas, sendo fundamental para as atividades de qualquer transportadora. 

Apesar de parecer algo simples, o processo de içamento deve ser tratado com muita cautela. Trata-se de uma atividade de alto risco, a qual envolve uma série de operações complexas e perigosas, uma vez que possíveis acidentes podem não apenas prejudicar financeiramente um negócio mas, sobretudo, colocar em risco a vida dos condutores e pessoas que estão no entorno das operações. 

Por isso, é preciso contar com um bom planejamento para garantir uma elevação de cargas segura e de qualidade, reduzindo as possibilidades de prejuízos e acidentes. Mas como montar esse plano? Quais passos devo seguir? 

Confira as soluções para essas e outras questões que envolvem o universo do planejamento para elevação de cargas!

Conheça as normas de segurança para a elevação de cargas 

Para que seja possível seguir com o planejamento para içamento, é essencial dominar as normas regulamentadoras voltadas à movimentação de cargas. 

A Norma Regulamentadora (NR) 11 é responsável por estabelecer todas as diretrizes de segurança para a operação das máquinas transportadoras. Além das exigências técnicas para segurança, o documento sinaliza o total de carga máximo em todo lugar e maquinários e destaca a relevância do uso da buzina em equipamentos motorizados. 

Já a NR-18 define as condições de trabalho para a indústria de construção e para as atividades relacionadas à elevação de cargas. 

Outras normas, como a NR-12, também dizem a respeito da qualidade dos materiais e equipamentos utilizados no içamento. Voltaremos a esse assunto posteriormente, trazendo maiores detalhes e destacando a sua magnitude. 

Plano de rigging 

O planejamento de rigging consiste em um documento, elaborado por um profissional autorizado, que contém todos os detalhes sobre cada processo crucial para o içamento de cargas. 

A partir dessa perspectiva, o plano rigging também define os tipos de guindastes que devem ser usados e avalia o local, os aspectos ambientais, entre outras questões primordiais quando falamos de elevação de cargas. 

Dessa forma, é imprescindível conhecer e adotar o planejamento de rigging nas práticas diárias de qualquer transportadora. 

Escolha com sabedoria os tipos de equipamentos e guindastes 

Lembra quando comentamos sobre as normas que se referem à qualidade dos materiais e equipamentos usados para o içamento de cargas? Elas destacam a importância do uso de materiais de bom desempenho e equipamentos de segurança para que todos possam trabalhar de maneira segura. 

Assim, é indispensável contar com equipamentos de alta qualidade capazes de gerar reflexos positivos na produtividade da empresa. 

Um dos itens mais importantes é a cinta de elevação de cargas, que mantém a carga imóvel durante a sua movimentação. Devido ao seu protagonismo nesse processo, buscando o melhor desempenho possível, deve-se optar por fabricantes que possuem reconhecimento e experiência no mercado, como a Polifitema. 

Há mais de 26 anos, a Polifitema traz soluções para a área de movimentação de cargas, oferecendo uma gama de opções não só de cintas para içamento de cargas, mas também cintas de amarração de cargas e cinturão para trabalho em altura. 

Reduzindo os riscos nos campos de amarração e elevação de cargas, trabalhamos com profissionais que carregam conhecimentos detalhados sobre nossos produtos, seguindo todos os padrões de segurança. 

Confira nossos modelos de cinta de elevação de cargas e conte com o necessário para realizar um bom planejamento! 



Deixe uma resposta